24 de novembro de 2008

SOBRE O DIREITO, A LEI E A JUSTIÇA

Direto do blog de Flávio Renato Caetano, por oportuno. "O Direito é a arte de enganar os outros e que, às vezes, por coincidência até pode praticar a justiça." (Carlos Galves) "A lei é como uma prostituta, sempre sorri para aquele que tem a carteira mais cheia." (Cevola, citado por Taylor Caldwell) "Alguns juízes são absolutamente incorruptíveis, impossível induzi-los a fazerem a justiça." (Bertold Brecht)

3 comentários:

Anônimo disse...

Será?????
Acho que vc está um tanto quanto cético demais!!!
Sei não, mas acho que às vezes É PRECISO SIM quebrar alguns ciclos de tolerância e que isso pode ser feito através de processos bem tratados e bem julgados por várias instâncias(vários juizes e várias cabeças) na Justiça.
Como vc colocou um 'por oportuno' no cabeçalho, acredito que vc se refere aos últimos acontecimentos(julgamentos)em torno de politicos paraibanos.
Se já era improvável a existência de um Z posicionado logo após o R do TRE(como vc comentou em artigo anterior), mais improvável ainda vai ser conseguir 'enfiar' um Z depois do S do TSE, tamanha a contundência, unanimidade e força dos argumentos daqueles julgadores.
Tudo isso não quer dizer que estou de olhos fechados para possiveis perseguições da imprensa ou de outra fatia da sociedade. Nem tampouco acredito que o Estado agora entra nos eixos - o que analiso com bem complicado a essa altura do campeonato. Definitivamente não estou partindo de uma visão romântica, mas acho que a justiça fez a sua parte(de forma licita e transparente)e que somente a partir disso, novos destinos poderão ser pensados/traçados. Desconfortável mesmo era o clima de suspense que se arrastava a tantos meses.
Na torcida para a possibilidade de uma Paraiba em crescimento, acreditando que se esse for o desejo da maioria, será melhor assim.
Para finalizar, devo dizer que prefiro quando VOCÊ escreve, até pq me permito discordar do que Cevola e Bertold Brecht escreveram acima.

Débhora Melo disse...

Caro Rangel!

Toda mudança gera conflitos,insatisfações para alguns, dúvidas e inseguranças para outros.
A arte juridica é uma das mais belas quando não corrompida, quando processada de forma real,com rigor e com a propriedade das leis.


- "A norma, com efeito, não poderá estrangular a vida, antes deverá afeiçoar-se a esta, para que não se cristalize nos formalismos estéreis. O direito, como hoje se observa, vai se modelando à luz das realidades áspera do mundo contemporâneo. E as suas matrizes eis que se forjam nos obscuros desvãos da inquietação popular. Sois, pois, senhores advogados, intérpretes desses dramas surdos que germinam em todas as camadas sociais."

(Jorge Lacerda - ex Governador de Santa Catarina) .


- "De que valem leis, onde falta nos homens o sentimento da justiça?" (Rui Barbosa)


Vale para reflexão.



Um abraço,

Débhora Melo.

Taiguara Rangel disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk
excelentes, velho!