16 de março de 2009

NO APARTAMENTO, OITAVO ANDAR...

... abro a vidraça / e grito quando o carro passa / teu infinito sou eu..." Pois num é que Jailton queria ser borboleta, passarinho ou coisa parecida? Me pareceu a canção do grande Belchior. Interrompo o estudo com uma algazarra do tamanho da rua inteira e, cedendo à tentação, vou ver o ocorrido. No décimo andar, olho um pouco pra baixo na diagonal e tá lá, aquele corpo em movimento pendular na janela do apartamento. E haja o povo a gritar: "moço, jesus te ama"... "faça isso não, moço"... "Ei, ei, rapaz! Pense em deus... eu te amo"... "sai daí, maluco!!!"... ouvi de tudo em menos de um minuto, naquela profusão de 'boas intenções'. Num impulso me visto adequadamente e calculo o numero do apartamento, desço as escadas e chego à porta do 806 quado o porteiro se aproxima e eu pergunto: ele tem algum problema (?) pra ver se o cidadão passava por algum transtorno de ordem psíquica, fazendo o gesto habitual com o dedo... Bem feito, que não soube perguntar. O porteiro responde: "tem, moço, ele tá devendo o aluguel", mas também anda bebendo muito. E o nome dele?, indago de outro modo e o porteiro diz que não sabe. Nisso chegam mais um casal e um gringo que assomam a janela e a cena dantesca foi se tornando cômica, pois o gringo dizia em um português pra lá de esquisito: "eu te amo!", "eu te amo!" ... "venha cá!"... era o máximo que ele podia fazer. Alcanço a janela do corredor com ajuda de mais um e ao falar da janela o rapaz toma um susto e escorrega... buuuummmmmmm!!! O impacto no chão, ainda bem, foi pequeno e pra dentro do apartamento. Espero alguns segundos e ele ainda tenta se erguer, mas não consegue. Um outro chega e já vai metendo o pé na porta. - Calma, moço! Ele pode radicalizar!!!!!! Espero mais alguns segundos e como o homem não se move, resolvemos arrombrar a porta... No mais é o de praxe: curiosos, polícia, bombeiros, SAMU... O mau cheiro de quem bebeu demais da conta, as malas como se estivessem sendo arrumadas, livrinhos e jornal da Universal do Reino de Deus, do Bispo Macedo... e outras coisas comuns. A dona do apartamento chega, uma senhora aparentando bem mais de 70, treme que só para-choque de Jipe, não sabe ao certo o nome do inquilino, apenas que hoje venceu o aluguel e ele estava arrumando as coisas pra entregar a chave. Procuro seus documentos e descubro que se chama Jailton, tem 43 anos, está desempregado (segundo o porteiro), em sua CNH consta apenas nome da mãe. Ninguém sabia a quem avisar, pra onde ligar... o policial diz que os médicos decidirão o que fazer. Outro, mais radical arremata: ele vai responder processo, pois tentativa de suicídio é crime. Tá vendo? Ainda bem que ele caiu pra dentro! Vida que segue...

3 comentários:

Taiguara Rangel disse...

Lembrei de tio Neto: "joga pra cima que se cair é merda e se voar é urubu"

Saudades e inveja do Maraca.

Ademar Oliveira de Lima disse...

Parabens colega pelo trabalho!!!
Abraço Prof. Ademar!!!

Aninha Santos disse...

Começo movimentado hein? Boa sorte amigo!

Ah e esse final de semana estou rica -- melhor que a Mega Sena -- Gal, Fredí, Sofia e Tia Kika, todos aqui para o aniversário de João. Só falta tu para completar a felicidade.

Beijo grande meu amigo!