23 de março de 2009

ARCO-ÍRIS DE PRESENTE

O amigo, poeta, artista plástico e blogueiro Alfrânio Brito, que trabalha em um local privilegiado pela paisagem, no terceiro andar do edifício central da Administração da UEPB, capturou um arco-íris em dose dupla. De vários ângulos enviados escolhi este aqui. O interessante é saber se o pote de ouro está no bairro da prata, no edifício em frente à UFCG ou dentro do açude. Por via das dúvidas deixo postadas aqui duas fotos que selcionei dentre várias. Você que tem câmera fotográfica e gosta de sentir o clic da abertura e fechamento do obturador... que tal começarmos a caçar arco-íris por aí? Quem sabe vira uma diversão interessante?

6 comentários:

Aninha Santos disse...

Adoro os Sapatos Apaixonados... Passei uns dias sem vir aqui e me surpreendi com tanta coisa nova, inclusive novos leitores. Muito massa!

A saudade é um negócio doido, acho que é a palavra mais forte em minha vida, tenho saudade de tudo, inclusive do que ainda não vivi -- assim como Renato Russo. Mesmo assim é difícil imaginar tua saudade porque cada um tem seu jeito de sentir saudade, do mesmo modo que cada um tem o seu olho de ver arco-íris.

Resumindo; belas palavras, belas fotos, belos sentimentos. Sinto tua falta, falta das conversas aperreadas e fragmentadas, daqueles dias de construir sonhos que talvez nunca virem realidade e daquela contrução de realidade que para muitos jamais passará de um sonho.

Um grande beijo para você meu amigo que tanto amo.

Débhora Melo disse...

Rangel,

Vamos sim, caçar arco-íris!
Se ele tiver longe da nossa retina,onde a mira chega ao impossível, quem sabe nao possamos tocá-lo e admirá-lo, lá na TERRA DOS SONHOS.



Vou para Terra dos Sonhos
Lá pesadelo é quando estamos acordados
Lá sou bailarina e o homem
Que amo não é soldado.

Vou para Terra dos Sonhos
Aqui os pássaros tem coração
mas não sabem amar
Lá mais alto que os pássaros
Poderei voar.

Vou para Terra dos Sonhos
Caminharei por bosques que não tem mosquito
E acenderei uma fogueira pra enfeitar
Lá todos são amigos, mas amigos de poder confiar.

Vou para Terra dos Sonhos
Onde o arco-íris não foge da gente
A noite dura tanto quanto o dia
E quem me dera não fosse Terra da Fantasia ...

(Débhora Melo)


... rsrs!


Um abraço.

RANGEL JUNIOR disse...

Que maravlinha, Débhora!
Você tava guardando coisas como essa daí ou fez por este dias?
De qualquer modo é coisa de gente grande.
Daqui a pouco vou abri parceria no blog, em vez de deixar por aqui nos comentários.
Tá valendo!

RANGEL JUNIOR disse...

Aninha, Criatura! Por onde tu andaste que tanto cabelo criaste???
Esta era uma frase de minha avó Paulina, lá em Juazeirinho, quando eu ainda era criança muito pequenininha.
Saudades sim, de todos os nossos papos e projetos meio visionários.
Os sonhos estão mais vivos que nunca. Cada um em seu lugar (ou em seus novos lugares) vamos tentando transformá-los em vida.
Você mora aqui dentro. Num cantinho muito especial, pois é uma das pessoas mais bacanas que conheci na vida toda.
Vamos em frente!

Débhora Melo disse...

Oi... Rangel.

Tenho algumas coisas guardadas... rs!
Esse blog é seu,somente SEU.
Porém, com a porta escancarada para quem se dispor uma visita ou várias visitas...
E é ele que também me inspira, me faz feliz, saudosa,reflexiva, romântica, poética, curiosa, preocupada,moleca, sorridente,sonhadora,enfim,suas palavras me instiga vir aqui!
E eu gosto desse lugar, que entro, sem precisar bater.



Um abraço,


Débhora Melo.

Débhora disse...

Oxe... errinho ortográfico.
...Suas palavras me INSTIGAM vir aqui!