22 de outubro de 2008

NÃO TROCO UM WALDIR POR 10 PREFEITOS - Parte II

Carta aberta ao amigo-irmão Waldir Porfírio e aos meus poucos - mas importantíssimos - leitores. Meu irmão de luta, sonhos e dores e tantas alegrias. Permita-me discordar do tema inscrito por você em sua mensagem. Você não deve explicação nenhuma aos seus amigos. Seus amigos, os que dividem comigo a sua permanente solidariedade fraterna, são todos trabalhadores honestos e o conhecem suficientemente para não precisarem de explicações suas. DEDICO A VOCÊ ESTE SONETO. Há pessoas em si tão insinceras Que na vida de modo insistente Agem qual canibais – amoralmente – São, de fato, aprendizes de megeras. Queimam sempre em fogo mui ardente Esses seres horríveis – meio feras – Têm nas garras sonsice de panteras, Predadores… destroem toda a gente. Revelando vileza contumaz Não escolhem vítimas – tanto faz – Em ações inumanas, condenáveis. Neste gozo abominável – de vergonha – Destilando o seu ódio e peçonha. Serão sempre reles miseráveis. Considero importante que dirigentes estaduais do PCdoB - Agamenon Sarinho, Washington Feitosa e Simão Almeida - tenham prestado solidariedade ao nobre camarada, lutador de mais de 25 anos sob a bandeira vermelha do Partido. Waldir veio de Guarabira e foi comerciário em Campina. Militante de primeira hora sempre, possui um aguçadíssimo senso de preservação da memória e vela diligentemente pela sua história e currículo. Waldir é um dos mais solidários companheiros que conheci em meus 20 anos de Partido Comunista do Brasil, além de mais 6 anos pretéritos. Intelectual de porte, foi meu colega de curso em Psicologia e depois tive a honra de tê-lo como aluno da disciplina Ética Profissional. Ele foi o responsável pela minha inserção efetiva no Movimento Estudantil, sendo seu substituto na presidência do Centro Acadêmico, depois de alguns anos de presença nas lutas estudantis entre os anos de 82 e 85. Waldir, ainda em processo de conclusão do curso, foi escolhido pelo PCdoB para assessorar o então vereador Ivam Freire, na câmara Municipal de Campina Grande. Com a eleição do Deputado Simão Almeida, imediatamente foi convocado para servir em seu gabinete na AL. Exclusivamente por seu talento, seriedade, competência e capacidade de articulação e negociação, além de grande perspicácia política, Waldir foi sucessivamente convidado a assessorar deputados, chefiando gabinetes e indo além em atividades de colaboração em jornais como articulista, o que lhe rendeu a amizade e o respeito de icontáveis jornalistas na capital do Estado. Nos últimos anos, a despeito de enormes dificuldades que vem enfrentando, o camarada Waldir Porfírio resolveu estudar as Ciências Jurídicas e, certamente, será destacado operador do direito em breve. O amigo Waldir é um pai dedicadíssimo em todas as horas, capaz de doar-se em todos os sentidos no cumprimento de seu papel social de pai exemplar e amoroso. Homem de posições fortes, de grandes enfrentamentos ideológicos, sempre teve firme posicionamento na luta interna do Partido, nunca deixando de primar pela crítica fraterna, aberta, franca, dialética, revolucionária. Correto ou não em suas opiniões, sempre foi capaz de auto-crítica e superação em todos os momentos de dificuldades. Apenas pelas tarefas que desempenha afastou-se nos últimos anos da luta aberta, na rua, no combate destemido contra a exploração de classe. Porém, sua essência de militante forjado na luta continua firme e sua verve cada dia mais acesa e contundente. O camarada Waldir Porfírio da Silva merece bem mais que a solidariedade de aguns dirigentes do PCdoB e de amigos jornalistas. A atitude dos que o detrataram, esculacharam publicamente tentando enodoar seu nome, pode ser considerada apenas um erro (espero que tenha sido apenas isto). Cometido por um aliado do seu Partido é indesculpável, essencialmente se continuar sob o manto do faz-de-conta-que-não-foi-com-ele, do deixa pra lá, já que não é alguém famoso... há interesses maiores envolvidos no jogo. Pior ainda, se ninguém quiser fazer nada porque poderia causar algum constrangimento aos seus caluniadores, atrapalhando o resultado eleitoral, caso fosse preciso alguém apenas fazer uma correção, uma notinha, uma frase sequer, reconhecendo que foi cometido um excesso, um equívoco. Waldir merece mais que isso pela pessoa que é, pelo militante comunista que é. Logo o PCdoB que em tantos anos de verdadeira dissecação política e pública do governo Lula não teve nenhum de seus quadros (que são muitos) envolvidos ou comprometidos com nenhum tipo de delito ou denúncia e/ou quando teve provou ter agido dentro da legalidade. Waldir merece! Ou eu não me sinto no dever de respeitar quem o desrespeita. Muito menos no dever partidário e político de apoiar, de votar em quem age assim! Isso porque não quero me referir a como eu mesmo fui desrespeitado nestes 4 anos. É pedagógico! De minha parte, camarada Waldir, está desagravado!

11 comentários:

Waldir Porfirio disse...

Poxa, meu camarada e irmão Rangel Júnior, que bálsamo ao meu espírito ferido esse teu artigo!
Que alegria invade meu coração quando, atingido pela calúnia, recebe a fraternidade, há muito esquecida por tantos e tão lembrada por poucos.
Meu camarada sincero, não tenho como agradecer!
Muito obrigado!

Ozéas Jordão disse...

Meu caro Valdir, ex-companheiro de lutas estudantis, quando estudantes fomos na UEPB. Em outro período seguinte, lembrando a grande luta acadêmica pela defesa da UEPB, você também estava presente não mais como estudante mas no seu trabalho de assessoria parlamentar na Assembléia do Estado. Naqueles negros dias de lutas para impedir que a nossa querida Universidade Estadual fosse destruída, seu apoio foi importantíssimo. Estávamos certos quando lutamos com todas nossas energias pela sobrevivência digna e necessária do único patrimônio acadêmico universitário (UEPB) sob a responsabilidade da administração do Estado da Paraíba. O resultado, a prova está ai com as marcas inequívocas dos grandes avanços que a UEPB deu nestes últimos quatro anos em todas as áreas do ensino, pesquisa e prestação de tantos outros serviços a população paraibana, nordestina e brasileira. Com estas palavras quero também me associar ao ato de desagravo publicado pelo colega Rangel Junior.
Ozéas Jordão (Prof. UEPB).
ozeasjordao@yahoo.com.br

Claudionor Cavalcante Costa disse...

É Junior voce esta coberto de razão deicha passar em branco isto, é perder o bonde da historia para quem não tem se quer um pouco de compostura, que para atingir seu objetivo vai passando por cima de todos. Sabemos do carate de Waldir e para isto não precisamos ser tão chegado a ele como voce arfirma ser. sabemos de sua trajetorio pelo seus amigos que nos da noticia do "camarada" e do que ele tem feito, é por ai que sabemos quem é quem. Waldir não só marcou o seu teritorio na Universidade, mais mudou a relação de trabalho entre comando e comandados, bem estilo daquela epoca na assembleia legislativa defendendo os seus colegas de trabalho atraves do dialogo e convencimento. Waldir sabemos quem é quem.

Jr. obrigado por ter me enviado seu E-mail.

omuro disse...

Pois é, amigos, não poderemos silenciar quando um de nós é atingido, sob o risco de depois não podermos dizer nem fazer mais nada... e aí já não seremos também mais nada.
Um abraço fraterno. Obrigado pela visita.
jr

ALFRAPOEMAS disse...

Meu caro amigo e poeta,
Isto é realmente um bálsamo a dor do caríssimo Waldir, como ele próprio do diz.
Parabéns pelo inspirado texto, e muito mais ainda pelo belíssimo soneto. É assim se fala em defesa de uma amizade!
Alfrânio.

Aninha Santos disse...

Posso dizer que faço minhas as palavras de Junior. Embora não tenha o mesmo tempo de amizade e militância conjunta, dedico a Waldir o mesmo carinho e mais ainda, dedico a Waldir todo o meu respeito e admiração pelo camarada disciplinado, pelo dirigente exemplar, pelo militante vermelho que é e sempre foi. Nós, que tivemos a honra de conviver e militar ao seu lado jamais acreditaríamos nessa calúnia. Fica a minha indignação, se é que vale de alguma coisa dada as proporções de um e outro veículo, e o meu fraterno abraço ao camarada Waldir que guarda consigo todas as qualidades que um verdadeiro comunista deve ter.

Ada disse...

Caro, gostei do teu blog. E lendo esse seu poema, me lembrei de te falar sobre tais sentimentos vis - que são só de HUMANOS, veja bem - achei injusto imputar tais maldades morais, aos pobres animais, mesmo as feras, a quem menciona. Aliás os animais matam apenas para comer... tá bom! Eu tô exagerando, né? Mas defensora que sou das espécies - humanas e animais - dai a César o que é de César! Forte abraço, daqui de sampa.

Taiguara Rangel disse...

faltou mencionar uma das grandes qualidades de Waldir! Companheiro de inúmeras farras e "grandes encontros".

RANGEL JUNIOR disse...

Com certeza, Taiguara.
Essa é uma das grandes qualidades do amigo Waldir. Tanto é que ele, mesmo se tornando abstêmio (agora adepto de cerveja sem álcool - na qual não vejo graça alguma), continua participando de tudo com os amigos, com a mesma disponibilidade alegria, companheirismo e solidariedade boêmia... sem álcool!

Flávio Petrônio disse...

Poeta Rangel! Eu tenho uma frase que gosto de repetir e te cabe bem, Irmão: “a melhor maneira de não se sentir sozinho é tendo a certeza da cumplicidade”. Não me surpreende a sua denúncia de companheirismo um camarada em situação de desconforto, como fez com o Valdir. Também não me espanta a sua intransigência cabível escudando o que acredita defendendo: Revelando vileza contumaz/ Não escolhem vítimas – tanto faz -/ Em ações inumanas, condenáveis (...) O humanismo, que no final da frase vai propor uma metáfora paradoxal, sempre esteve presente na sua conduta de pacificador violentamente necessário. Fique na paz, Poeta.
Flávio Petrônio

Hipolito Lucena disse...

Caro amigo Rangel Júnior, também me acosto em tuas palavras em solidariedade ao fraterno camarada Waldir Porfírio, reconhecendo, mesmo que sem a necessária importância, a honradez e o valor moral, ético e justo do nosso amigo e companheiro, desde os tempos memoraveis de luta e de Mobilização pela estadualização da nossa querida UEPB.

Hipolito Lucena