21 de outubro de 2009

BELCHIOR E SUA ALUCINAÇÃO

Assim como naquele livrinho de brincadeira de esconde-esconde que não lembro exatamente o nome, mas me parece que era "Onde está Wally?", dias desses fizeram um fuzuê daqueles com o artista plástico, compositor e cantor Antonio Carlos Belchior. O mote era o sumiço de Belchior deixandoa pra trás carros em estacionamentos, correspondências, contas a pagar (e imagino que também a receber...).

Pois não é que encontraram Belchior? Foram descobri-lo em em uma cabana, na cidade de San Gregorio de Polanco, no interior do Uruguai, morando com uma mulher e, segundo ele, apenas vivendo a vida.

Consta que tinha deixado pra trás dívidas de mais de 18 mil reais. Ora, como se em dois show de hora e meia cada ele poderia resolver tudo isso e ainda ficar com o troco? Não acompanhei os detalhes todos das 'buscas' a Belchior, mas uma de suas canções talvez explique o que ele estava fazendo: ALUCINAÇÃO.

"A minha alucinação é suportar o dia-a-dia
E o meu delírio é a experiência com coisas reais
(...)
Amar e mudar as coisas
Amar e mudar as coisas
Amar e mudar as coisas
Me interessa mais!"

Deixemos Belchior em paz!

Um comentário:

wagner disse...

Pois é...

A emissora de Tv sem ter muito o que colocar no ar, encontrou esta pobre maneira de segurar o publico em suas casas a frente da tv.