9 de julho de 2009

ANTIGAMENTE EM JUAZEIRINHO...

O sujeito chegava em casa esbaforido e preparado pra levar um carão dos grandes. - Marminino, que foi isso no pé? - Levei um trupicão na calçada, bem na cabeça do dedão, mas não caí, não! - Anda olhando pra cima, é? Deixa eu ver! Será que descolou a unha? Ô minino danado! - Não, mãe, só deu um jeito. Cortou um pedaço e acho que desmentiu... vai ficar uma perebinha só... - Vá logo lavar isso que vou ralar um Cibazol pra botar com Mercúrio Cromo! Vai sarar logo... - Tá bom!

7 comentários:

KÁTIA LIMA disse...

UAAALLL... EU PENSEI QUE TINHA ENTRADO NO BLOG ERRADO... QUE SUSTO!!!!!
KKKKKKKKK...
SEI LÁ... TENHO QUE ME ACOSTUMAR, FICOU BONITINHO ESSA COR VERDE.

BESOS, BESOS, BESOS...

Socorro Dantas disse...

Gostei do novo visual do blog...ficou mais 'clean' rsrrsrrs Aprovado!

P.S - Só agora confesso que eu achava o titulo Caçador de Arco-Iris com uma letra muuuiiiito grande. Assim ficou bem melhor.

Ah, gostei tb do 'trupicão'. Aliás, você deve ter levado um bocado nas suas estripolias qdo moleque não?

ALFRAPOEMAS disse...

Rapaz!!! Esta nova roupagem do blog, meio puxada a ... de abacate ficou realmente um escândalo (de bom, é claro!). Acho que vou invejar o Poeta.
Ei! E esse negócio aí do Cibazol? Era pau pra toda obra! Nunca mais apareceu na face da terra uma meizinha que substitui-se esse danado pra qualquer coisa que se pensasse. Quantas cabeças de dedos eu arranquei jogando bola de meia no pavilhão do Grupo Escolar Vasconcelos Brandão, em Serra branca, juntamente com Dudu, o atual prefeito!? E todas as vezes entrava em cena o Dr. Cibazol. Era tiro e queda! Três dias após, já podia calçar o conga (que nunca deu chulé)e estava pronto pra entrar em campo novamente.
Saudade dos bons tempos, velho Poeta!

Sim! Gostei do seu último comentário no meu blog. Naquela estrofe não se pode tirar nem pôr mais nada. Perfeita! Cabra da peste!

Abraço.
Alfrânio.

ALFRAPOEMAS disse...

Peraí!
No comentário acima, substitua-se o substituí-se por substituísse que eu fico menos pobre e mais grato.

É uma... portuguesa com certeza,
É com certeza uma... portuguesa.

Brigadim.

Alfrânio.

Kátia Câmara disse...

Afffffffffi Baria !!! Parece que estou vendo a cena ...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Kátia Câmara disse...

Digo ...

ZÉ DE LOLA disse...

Visite meu blog, e veja mais poesias;

http://poetazedelola.blogspot.com
POETA ZÉ DE LOLA: CIDADE: EQUADOR RN.

POESIA:
CONVERSANDO COM OS PÁSSAROS.

I
Mim diga o motivo
Conseqüência ou razão
Algum crime eu pratiquei?
Ou serei algum ladrão?
Se não sou um delinquente
Mim diga aí seu demente
Por que estou na prisão?
II
Existem organizações
Pra cuidar dos animais,
Mas permite uma licença
Veja só o que se faz
Você paga um tostão
O bicho vai pra prisão
Não se solta nunca mais.
III
Não há motivo qualquer
Que possa justificar
Tirar nossa liberdade
Que a natureza nos dá
É uma grande covardia
Praticada dia a dia
Quando isso vai parar?
IV
Ninguém por preço nenhum
Quer que viver engaiolado
Até mesmo um criminoso
Contrata um advogado
Pra fazer sua defesa
E às vezes com sutileza
Ele solta um culpado.
V
“Coloque-se” em nosso lugar
Use sua consciência
Fique preso numa gaiola
Faça uma experiência
Pra burrice tem limite
Por que você não admite
Essa sua incoerência?
VI
O pássaro vive feliz
Em seu habitat natural
Os homens ignorantes
Que gostam de fazer mal
Tira sua liberdade
E esta imbecilidade
Eles acham que é normal.
VII
Se eu fosse funcionário
Da defesa ambiental
Ficaria muito triste
Por ver como é natural
O crime que é praticado
Como está sendo depredado
O nosso reino animal.
VIII
Oh! Como seria bom
Que o homem se ligasse
Respeitasse a diferença
Que existe em outra classe
Depredar a natureza
É uma indelicadeza
Seria bom que mudasse