23 de abril de 2008

O ÁUGURE

SINTO MUITO, MAS EM TEMPOS DE ENTRESSAFRA POÉTICA, NADA MELHOR QUE VIAJAR NA MARAVILHOSA CRIAÇÃO DE GRANDES POETAS. APRESENTADO PELO AMIGO PAULO ANDRADE, GRANDE COMPOSITOR DE POEMAS VISUAIS, RESOLVI DIVIDIR COM MEUS VISITANTES ESTA FANTÁSTICA CRIAÇÃO DE HÉLIO PELLEGRINO. "Sou um prisma às avessas as cores em mim se confundem sou tapete de ecos uma cachoeira de gritos uma cordoalha de muitos tempos a esfera das lantejoulas - passado presente e futuro – roda refletindo mil sóis sou essa colméia de incêndios essa assembléia de sinais esse rumor insone." EM TEMPO: O que é Áugure? DIRETO DE: http://www.workpedia.com.br/6520/%E1ugure.html Título dado às pessoas que na antiga Roma interpretavam sinais para as autoridades do governo. Os romanos acreditavam que os deuses revelavam seus desejos através de certos sinais ou agouros, como o trovão e o relâmpago, o vôo e o canto dos pássaros, o movimento das serpentes e dos camundongos.

Um comentário:

Cristiane disse...

A leitura de Hélio Pellegrino sempre causa em mim genuinas sensações. Essa inquietude, esse vazio circundado, essa sublime abertura , esse por vir , preâmbulo da verdadeira criação!